Quem Somos | Central de Atendimento | Clientes

 

LiveZilla Live Chat Software

Escorpião Biologia do Inseto

Os escorpiões se destacam entre os aracnídeos por terem uma duração de vida que vai além de uma estação. Chegam à maturidade em 1-3 anos, e atingem normalmente um período de vida de 2-6 anos. O maior tempo de vida registrado para um escorpião chega até 8 anos.

O atributo mais notório de um escorpião é seu ferrão venenoso. Embora seja verdade que os escorpiões estejam entre os animais mais venenosos que vivem em terra, os relatos sobre seu efeito mortal são provavelmente exagerados.

Todas as espécies de escorpião são venenosas. Para os insetos, que são alimento potencial de escorpiões, todos os escorpiões são mortalmente venenosos. Entretanto, entre as cerca de 1050 espécies conhecidas, apenas um pequeno número é perigoso para os seres humanos. A maioria produz uma reação semelhante à da ferroada da abelha, que é muito dolorosa, embora geralmente não ofereça perigo de morte. 

Os escorpiões brasileiros de maior importância médica pertencem às espécies Tityus bahiensis e, principalmente Tityus serrulatus.

Tityus bahiensis

escorpião marrom

Tityus bahiensis - Ocorre desde o Estado da Bahia até o norte da Argentina e, na direção oeste, até Mato Grosso. Marrom avermelhado escuro, braços (palpos) e pernas mais claros, com manchas escuras. Segmento caudal liso no dorso. Quando adulto,chega a 7 cm de comprimento.

 

Tityus serrulatus

escorpião amareloTityus serrulatus - Ocorre em Minas Gerais, Espírito Santo, Estado do Rio de Janeiro e Estado de São Paulo. Amarelo claro, com manchas escuras sobre o tronco e na parte inferior do fim da cauda; o quarto anel da cauda com duas fileiras de "dentes" constituindo 2 pequenas serras dorsais

 

 

Tabela Comparativa

Foto

Espécie

Característica

Ocorrência

Hábitos

Acidentes

Picada

pulverização

Tilyus serrulatus
(amarelo)

60-65 cm amarelado, se reproduz por partenogênese

Região Sudeste

Predadores de insetos, principalmente noturnos, existência de

Ocorrem quando eles se escondem nas roupas e sapatos ou

Dor local intensa de longa duração, hipotermia,

pulverização

Tityus bahienses (Castanho ou marrom)

60-65 mm pardo escuro.

Bahia, Região Sudeste e parte do Centro Oeste

canibalismo, podem permanecer longos períodos sem se alimentar, resistentes em ambientes adversos

Quando se sentem ameaçados.

Salivação, taquicardia, hipertensão, corrimento nassal, hiperglicemia

 

Central de Atendimento - Ligue Grátis - 0800.701.4022 | Central de Vendas - (21) 2504-5525 | Reclamações - sac@tamandua.com.br

Horário do Atendimento via Telefone ou Chat : Segunda à Sexta das 8:00 hs às 18:00 hs / Sábado das 8:00 hs às 12:00 hs - exceto feriados

Avenida Paulo de Frontin, 600 - Rio Comprido, Rio de Janeiro - RJ - 20261-240

 

 

 

facebook  twitter  inea